sexta-feira, abril 08, 2005

Faltasse

Pois que a razão faltasse!
... E em teu mar navegasse
Perdido entre a noite e o dia.
E que importância teria
Se noite e dia desprezasse?
Enquanto o barco andasse
E o vento o empurrasse
Por ti deslizaria
Até que, numa onda de mestria,
O teu mar me embrulhasse
E sobre nós se fechasse.

quinta-feira, março 10, 2005

Talho e Retalho

Imaginemos um cérebro descompensado. Intrafeito. Implosivo.
Repotenciemos cada impluso; cada espasmo; cada obsessão. Refiguremos novos desejos...

Ei-lo que se afirma por mais umas quantas escorrências temporais a desmaterializar a realidade do lava, seca e passa-a-ferro.